Em uma aula, um aluno estava atrapalhando consideravelmente os colegas e não estava prestando atenção. Chamei sua atenção diversas vezes durante a aula, mas isso não surtiu nenhum efeito. Decidi então ser mais firme em minha posição e ele me disse que iria prestar atenção ao restante da aula. Nesse momento ele abriu o caderno e começou a resolver a tabuada sozinho e em silêncio. Continuou a fazer contas até acabar a aula, levantou e foi embora. Para ele, bom comportamento em uma aula de matemática é resolver exercícios e não abrir a boca. Isso me fez perceber como as aulas do Círculo da Matemática – nas quais fazemos com que as crianças participem, falem, perguntem- são diferentes das aulas com as quais as crianças estão acostumadas, em que o comportamento desejado é resolver exercícios e copiar a lousa em silêncio.